quinta-feira, 10 de março de 2011

Da Prisão no Céu I

Eu tô com um problema. E eu sei quando eu estou com um problema desse gênero quando as coisas só fazem sentido pra mim e eu não tenho explicações pra terceiros.
Eu dou bom-dia ao travesseiro, sonho contigo e te chamo de meu. Ando pro aí sentindo teu cheiro de nicotina com um perfume que eu nem sei o nome e fico seguindo esses caras que me lembram você na esperança que algum seja você.
Entro no café em que te conheci sempre que posso pra te reconhecer numa daquelas faces tão parecidas com a sua. Como você consegue ser tão comum e tão difícil de encontrar?
Assisto a esses romances americanos comerciais e mentirosos e agora eu sempre encontro alguém que me lembra você, mas eu acho engraçado. O bom disso é que eu ainda acho engraçado te achar perambulando por tudo que faço, mas não te achar real o bastante pra te tocar. Posso ouvir que a sua voz mansa me chamando toda hora, mas eu não tenho mais certeza se eu ouço a voz certa, eu não lembro da sua voz, mas eu lembro dos seus olhos e lembro que tive eles sobre mim durante tanto tempo que foram quase meus.
Eu me arrependi pelo que eu fiz e pelo que eu não fiz em tão pouco tempo que, Deus, como eu erro! Eu só sei que eu olhei pra você e você não quis olhar pra mim, então eu devia ter feito alguma coisa, eu devia ter chegado até você e falado: Ei, você me deixou sozinha! Por que você me deixou sozinha? Você não viu que eu estava completamente bêbada? Você não sabe o perigo que eu sou? Você não quer saber o perigo que eu sou? - E talvez se eu te abraçasse sem ligar pra ninguém que estivesse em volta e se eu beijasse seu rosto e te beijasse tanto até a sua alma se sentir beijada, talvez você percebesse que eu queria estar alí e não queria estar sozinha. Eu não queria me sentir deixada de lado, ser aquela que sempre acaba na fila de espera pelo incerto. E entre todas as coisas que eu sempre soube que queria e não queria, tinha você que não quis olhar pra mim enquanto eu sussurrava sins.

3 comentários:

Laura Ferreira disse...

Pois... mas ainda bem que voltaste aqui.

BelaTeixeira disse...

"Como você consegue ser tão comum e tão difícil de encontrar?"
porque tem de haver na vida tantos paradoxos?

• Yuri Kiddo • disse...

"Eu só sei que eu olhei pra você e você não quis olhar pra mim, então eu devia ter feito alguma coisa"

quando a gente perde o instante.