quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Daquilo que não se tem mais

Recebi tua mensagem de desculpas pela infantilidade hoje com uma esperança enorme de que quisesse me ver. Não quer.

Tão bonito aquilo que tu disse sobre nos cultivar nos outros, germinar e florescer em ambientes muitas vezes nada propícios.

Pensei que se eu te ligasse falando que sinto tua falta ou demonstrando minha necessidade de um abraço teu talvez fizesse você querer me ver. Não quer ainda.

Eu sei como você tá tentando se proteger de mim e isso me dói demais. Não tá fácil pra ninguém.

Tem nada amor, eu me sei em você.

Amor.

Que um dia eu li que a palavra amor seguida de um ponto final é pra poucos, porque é muito e desse dia em diante sempre guardei isso pra quando alguém merecesse o meu.

Parabéns, é seu.

Teve teu direito de silenciar após tantos julgamentos bestas, agora é minha vez de calar após te julgar Amor e ponto.

4 comentários:

BelaTeixeira disse...

Ow, flor, tb foi bom ler teu comentário no meu blog! Sinta-se bem vinda nele e no Cartas pra Ninguém

Vi a indicação pro seu post em uma das perguntas do formspring.me do FVK, já ouviu falar? Caso vc não conheça é um escritor muito legal e criador do "Anônimo Incógnito". Acho que vc ia gostar de conhecer!

Bom te ver atualizando o blog ;)

Bjin =*

Camillo Landoni disse...

Sensível
Surpreendente
Sincera

Sincera sim, porque mesmo que tenha sido uma voz criada por vc ela passa tanta verdade que é muito difícil acreditar que esse texto não seja confessional.

Aliás, essa é há muito tempo uma característica sua.

É muito bonito seu texto, e originalíssimo, num estilo que é só seu. Continuo dizendo: vc tem um talento tão incrível que merece ser reconhecido.

"...após te julgar Amor e ponto." Essa sua linguagem é de uma simplicidade genial e comovente.

Vc acertou mais uam vez.
BJules!

Lie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lie disse...

Cara, nem tem como dizer alguma coisa, disse tudo no finalzinho do texto!! Acho que vou até copiar pro orkut, não me processe!!
Apenas e simplesmente perfeito. PONTO!