sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Catástrofes Naturais II

Tô regrada na rotina, mas não livre da insônia

Os dias vêm se sucedendo numa montanha de catástrofes cotidianas

Um amontoado de sentimentos são cobertos com mentiras todos os dias

Eu passei por tanta coisa, tanta coisa desnecessária

Tem muita gente boa comigo

Me sacrifiquei em prol, tô plantando meus pedaços

Tento desfazer o nó da sua gravata pra ver se sai alguma palavra bonita

Anulando os dias que não passei com você

Tô regada com lágrimas, mas não livre das abelhas

Os dias acontecem e um bocado de raios ultravioletas queimam tudo ao redor

Tem muita gente boa entre a gente

É tão comum em dias cinzas você estar azul

Tanta coisa relevante aconteceu, por onde andamos?

Me desfiz sem dó, mas tento remontar o que sobrou

Eu quero o amor que tá do lado onde você se encontra

Troca de lado comigo?

Daqui o amor daí parece bem melhor e se continuar regando pode ser que cresça,

E segundo as regras, uma vírgula significa continuação...

2 comentários:

Yuri Kiddo disse...

muito bom!! muito bom mesmo!!

até me sinto inspirado agora... obrigado por isso!

Camillo Landoni disse...

"Tento desfazer o nó da sua gravata pra ver se sai alguma palavra bonita. Anulando os dias que não passei com você."

Você tem noção da sua modéstia?

Esse texto é de uma inteligência e sutileza incomum em alguém tão jovem quanto vc.

quer mais?

"Me desfiz sem dó, mas tento remontar o que sobrou"

Me desfiz sem dó...

"Eu quero o amor que tá do lado onde você se encontra
Troca de lado comigo?
Daqui o amor daí parece bem melhor..."

Que eu vou dizer? Melhor que suas criativas e de uma literariedade que eu assino embaixo digam.

Lindo!
Inpirador mesmo.
BJules!