segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Something

Tava na época de pensar em porques e respostas pra tudo o que não conseguia entender pelas simples explicações humanas de que tudo acontece com um propósito, o da evolução.

Ou qualquer coisa do tipo, até ontem não entendia que evolução é de dentro pra fora e que às vezes nem chega a sair.

Então você tem sempre que estar sozinho em uma sala lotada porque você cansou de se perguntar onde estão as respostas das coisas que ninguém entende. Eu sempre estou com você, observando, e essa não é uma resposta, nem uma pergunta, é só uma nota de rodapé dizendo que você pode cair quando quiser.

Eu posso te contar sobre as melhores pessoas que eu conheci e quais foram seus maiores erros, mas ser onisciente nem sempre é suficiente. Eu posso saber de tudo e me sentir tão incompleta quanto qualquer outro ser do universo. Porque quando não se têm respostas e não se têm perguntas, eu não sei o que esperar de mim.

Lá fora tá escuro, frio e todas as luzes que meus olhos podem ver são amarelas e artificiais.

Aqui dentro consegue ser tão escuro e frio quanto círculos polares ou invernos turqueses.

Desde o começo desse inverno não consigo me lembrar do último solstício de verão.

Você me disse lentamente -Não confunda meus amores com suas paixões semanais – Então eu gelei e permaneci assim.

São aquelas perguntas sem respostas que ninguém entende.

Eram nanquins, A3 , A4 e guardanapos espalhados, mas muito bem organizados na costumeira desorganização.

Foi quando me comparei ao papel que me vi orgânica e frágil.

Rabiscada e em decomposição.

4 comentários:

Puro Landoni disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Puro Landoni disse...

Nossos 'posts' com o mesmo nome e publicados no mesmo dia?!

Juro que foi coincidência. ^^

Pena que o meu é temporário, mas acho que vou abrir uma exceção e deixá-lo permanentemente. É que você é muito especial pra mim mesmo nas coisas que parecem pequenas.

Não estou nada inspirado e não ando muito bem, mas sempre foi e continua sendo verdadeira a falta que sinto de você.

Espero que esteja bem.

Do seu amigo
lamentavelmente solitário
Allan

• YuЯi KiddO • disse...

belo final! a decomposição é boa, ela autentica nossa vivacidade.

• YuЯi KiddO • disse...

ahhh você fez um curta!!!
me mostra, quero ver!!!! [lembrei agora]