domingo, 19 de abril de 2009

Pra fazer de conta...

Faz de conta que eu estou rindo e que tá tudo legal, faz de conta que eu escrevo bonito e que você liga e entende o que está escrito.

Faz de conta que nesse "Faz de Conta" ninguém sofre, ninguém liga, nem precisa discar num telefone as palavras não ditas.

Faz de conta que tua liberdade não te aprisiona, que ligam pra você e que você liga pra algo além de si mesmo.

E então faz de conta que é difícil ser desinteressado ou que é muito interessante.

Faz de conta que tem muitos bons e velhos amigos, ou só bons, eles podem ser... Eles não são seus amigos e você sabe, mas faz de conta.

Faz de conta que não faz pose, que não é poser e que não é tão bom quanto pode ser.

Faz de conta que tá cansado dessa vida agitada, que isso não leva a nada e que Bukowiski é o “novo” cult cut do momento.

Faz de conta que não liga pro mundo ou que nem desse mundo é.

Faz de conta que a cada nova opinião que ouve tua opinião não muda, que não repete o que te dizem e que é tudo muito bem pensado pelo seu outro eu, um que eu nunca vi.

Faz uma pose legal de quem acabou sendo surpreendido pelo flash e depois volta ao copo de bebida que nem é teu, mas finge que é.

Finge que ri, que chora, que gosta, que ama, que odeia, que não quer ou que quer mais, finge que é verdade esse “Faz de Conta”, finge que é essa a tua realidade.

Finge que esse enredo não está a tua altura e escreve outro, se for capaz.

Finge que não quer ser adorado, conhecido ou virar ídolo underground lá do cais, finge, porque é nessa parte que eu não preciso fingir que ri.

Finge que essa tua autoconfiança toda não é porque não tem mais em que apostar suas fichas.

Finge que é bom em qualquer coisa que é de alguém que você queria ser.

Finge que está bem com essa futilidade ou que a futilidade não existe pra você.

Finge que não precisa fingir ser outra pessoa pra se tornar interessante.

Faz de conta que tu tem algo a mais, algo que te faz único e que tempo nenhum é capaz de tirar.

Faz de conta que você não é só isso que na verdade é.

Faz de conta que você vai chegar lá e que eu acredito nisso.

Vou fazer de conta que não disse nada e que estou muito mais aprisionada.

Cada um sabe o tamanho da prisão dentro de si e eu sou tão livre como você nunca vai ser, mas faz de conta...

Um comentário:

• YuЯi KiddO • disse...

selecionei um pedaço que gostei muito, mas esse pedaço ficou tão grande que virou o texto inteiro.

esse foi o melhor texto do blog inteiro na minha opinião!

uma pena você não ter parado na primeira parte, porque no começo achei um monte de coisa e minha cabeça viajou. Mas lendo a segunda você esclareceu tudo e aí deu uma brochada. Vou sempre reler esse, em especial, mas só o 'faz de conta', o que é real não me interessa nesse momento.